sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Família Botânica Asteraceae (Compositae)


São conhecidas por compostas porque estas flores são de facto o conjunto de muitas pequenas flores agrupadas no centro (os pontinhos amarelos).
O que geralmente chamamos pétalas não é mais do que folhas que sofreram transformações (brácteas), para seduzir os polinizadores.
Esta é uma das mais de 20 000 espécies da família das Asteraceae, nasceu no meu jardim e mais não sei.

5 comentários:

cajolas disse...

A Geoplantas deixa aqui o convite para visitar o nosso jardim concorrente ao festival Nacional de Jardins a decorrer até sábado 1 de outubro de 2005 na Lusoflora em Santarem...

tem lá belos Jardins e uma enorme diversidade de viveiristas, plantas e flores

Se necessitar convites, dirija-se ao nosso stand no exterior da feira.

Ver disse...

Obrigada pelo convite e boa sorte para a Geoplantas.

Xico Corrêa disse...

Embora não sejam pétalas mas sim folhas que se transformaram mudando de cor,o que é um facto é que continuam a ser em número tal (13) que é um dos números da série de Fibonacci

1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, ...

Ver disse...

Diz-me então que todas as flores têm um número de pétalas que pertençe à série de Fibonacci?
Não foi ele(Fibonacci) que falou no conceito de Divina proporção? Matematicas à parte é isso mesmo que é uma flor.

Xico Corrêa disse...

Não é Fibonacci que fala em divina proporção mas curiosamente se fizermos a razão entre cada termo da série de Fibonacci e o anterior, os valores obtidos vão-se aproximando do número de ouro, o resultado da divina proporção!
Sem querer ser maçador, proponho que faça uma visita ao blog http://haaguaemmat.blogs.sapo.pt e em artigos não recentes, encontrará explicações sobre estes assuntos.