segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Destruidor da alegria

A arte não se dirige à cultura, mas sim à vida (...) Um poema não faz parte de uma literatura, mas sim do mundo em que estamos.
A arte pode ser estudada no plano da cultura, mas a sua mais funda comunicação é no plano da vida quando na arte somos confirmados. E o verdadeiro nome dessa comunicação é "entusiasmo", dando à palavra o seu sentido grego.
(...)
O homem que é insensível ou indiferente à poesia, à música ou à pintura é um homem ensurdecido no seu ser e diminuído na sua existência. Um homem mutilado, anormal e temível. É o destruidor da alegria.
*
Sophia de Mello Breyner Andresen
Situação da Arte
Publicações Europa-América
*
É assim o incendiário...

4 comentários:

Paulo disse...

As palavras sábias de Sophia, aplicadas aqui com toda a pertinência.

Cristina disse...

bem apontado

bettips disse...

Uma frase directa que nos diz tudo, depois das palavras dela sobre a falta da raiz cultural.

Terpsichore E. M. disse...

fantástico