sexta-feira, 21 de março de 2008

Velhas árvores

Ceiba pentandra . Sumaúma 
 Jardim Botânico do Rio de Janeiro 

Olha estas velhas árvores, — mais belas,
Do que as árvores mais moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas ...

O homem, a fera e o inseto à sombra delas
Vivem livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E alegria das aves tagarelas ...

Não choremos jamais a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,

Na glória da alegria e da bondade
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!

Olavo Bilac

2 comentários:

Greenman disse...

As àrvores são os monumentos vivos da natureza!
Devemos sempre celebrá-los!
Esta é linda!!

MoonLight disse...

Que vontade de lhe dar um abraço!
Daqueles em que nos fundimos com a árvores e tudo fica bem!

Magnífica árvore.

Bjs de Luz*