sexta-feira, 2 de abril de 2010

Perder #2


Andei a ver fotografias antigas e encontrei esta com uma árvore que já acabou há algum tempo, era a árvore maior da minha rua, muito maior que todas as outras. Na verdade as árvores muito grandes não acabam - o que acaba são as histórias e assim - as árvores muito grandes quando morrem deixam um vazio que não é fácil de entender, ensinam-nos a perder.

2 comentários:

as-nunes disse...

Nem me diga nada, Rosa!

Há dias lembrei-me de passar por uma Rua de Leiria, ali na zona do chamado Planalto. Há uns anos que me habituei a observar duas mimosas de grande porte, árvores de muitos anos, com uma grande envergadura. Daquelas que são uma referência para as pessoas.
Este ano fui surpreendido pelo seu abate, puro e simples.
Não sei porque é que as cortaram!
Fiquei com uma grande sensação de vazio. Falta algo naquele local. Não consigo entender estas atitudes!
Abraço, Boa Páscoa

Carolina disse...

E eu, que ia de prepósito a uma povoação vizinha só para ver uma olaia florida na beira da estrada.
No ano passado, quando cheguei já ñ existia!
Foi uma tristeza!...
(~_~)