quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Alho social




Tulbaghia violacea

Já há muito tempo que simpatizava com esta flor que é cada vez mais fácil de encontrar nos jardins e viveiros portugueses. Tenho-a há cerca de dois anos no meu jardim e não paro de lhe descobrir qualidades e atractivos. Num primeiro contacto o que mais impressiona e nos faz ponderar a sua utilização em jardinagem é o cheiro, não é por acaso que lhe chamam Alho-selvagem, Alho-doce ou Alho-social, o cheiro a alho  é porventura mais forte do que o do próprio alho, e sente-se à distância, mas é uma planta tão bonita e tão bem comportada que rapidamente esquecemos este pequeno inconveniente. 

É nativa de África da zona de KwaZulu-Natal onde, por coincidência, estive este ano. Os Zulus plantam-na junto às casa porque dizem que afasta as serpentes e, se não fosse por mais nada, esta já era razão suficiente para gostar dela. As flores e as folhas podem ser utilizadas para temperar cozinhados que se queiram a saber a alho, com a particularidade de saber a alho frito mesmo quando é utilizada em cru. Não admira que seja tão social.

3 comentários:

Rosemary disse...

Que poético, Rosa! Adoro alho! Você tem razão, com amor, até os inconvenientes são belos.

Rosemary disse...

Só para saberes, o de Cheiros integra a lista de essenciais, no meu blog www.cosmologiapesquisa.blogspot.com

doces abobrinhas disse...

amo a cor dela!
adorei chegar aqui, um beijo doce e apareca nas abobrinhas
roberta
www.docesabobrinhas.com