terça-feira, 16 de junho de 2009

Tempestade silenciosa



"viram pela janela que estava caindo uma chuvinha de minúsculas flores amarelas. Caíram por toda a noite sobre o povoado, numa tempestade silenciosa, e cobriram os tectos e taparam as portas, e sufocaram os animais que dormiam ao relento.

Tantas flores caíram do céu que as ruas amanheceram atapetadas por uma colcha compacta, e eles tiveram que abrir caminho com pás e ancinhos para que o enterro pudesse passar."

Gabriel Garcia Marques . "Cem anos de solidão"

3 comentários:

miguel disse...

Isto não era aquela chuva de flores que eu vi de fugida(ia dentro de um carro)outro dia junto ao arsenal?

Rosa disse...

Esta é nos prazeres Miguel.

miguel disse...

Ah está bem!
Mas é lindo.