sábado, 15 de janeiro de 2011

O Salgueiro Frágil

O Salgueiro inclinado de onde Ofélia cai ao riacho quando um dos seus ramos se parte...

There is a willow grows aslant a brook,
That shows his hoar leaves in the glassy stream;
(...)
Clambering to hang, an envious sliver broke;
When down her weedy trophies and herself
Fell in the weeping brook.

Hamlet . Act 4, Scene 7

Não me parece evidente que o Salgueiro pintado por Millais seja, como é muitas vezes referido, um weeping willow ou salgueiro-chorão (Salix babylonica ou o híbrido Salix x sepulcralis) que era uma árvore muito ao gosto dos pré-rafaelitas e dos pintores românticos, mas que não pode ser a árvore referida por Shakespeare porque estes salgueiros não eram conhecidos na Europa antes do Sec. XVIII. O Salgueiro referido em Hamlet seria de uma espécie nativa da Europa. A referência à cor das folhas ( hoar leaves, folhas grisalhas) sugere o Salgueiro-branco (Salix alba) ou o, tão adequado à situação, crack willow (Salix fragilis) que tem este nome porque os seus ramos se partem com facilidade e fazem um som característico. Não sei se na altura em que Shakespeare escreveu o Hamlet o salgueiro-frágil já era conhecido por este nome, mas era-o, sem dúvida, na época em que Millais ilustrou a morte de Ofélia, e quando tudo levava a crer que a árvore ideal para esta cena seria o, muito na moda e cheio de simbolismo, Salgueiro-chorão, Millais apresenta-nos a árvore frágil e atormentada que Shakespeare descreveu . É por estas, e outras, que este quadro é uma obra de arte.



E estas? 
Ficam para outro dia.

4 comentários:

vera disse...

Gosto de fazer coroas com os velhos ramos de salgueiro-chorão. Aqui há muitos à beira dos rios, claro.
Aquela imagem em baixo é uma árvore de lilás ? plantei uma na primavera no jardim, já tinha uma antiga na parte de trás, em versão branca.
Que pena que me faz essas árvores que continuam a cortar por aí, é incrível que não haja uma lei que as proteja !

Rosa disse...

Olá Vera, na imagem é uma planta que aparece bastante perto dos cursos de água chamada salgueirinha, ou erva-carapau. Quando tiver um bocadinho falo dela. Os lilases, que eu adoro, são coisa mais sofisticada ; )
Em relação ao corte de árvores por aqui, não se pode dizer muito mais...

Rosemary disse...

Adoro ver o seu Blog! Vc. tem uma forma toda especial de descrever plantas, flores e outros representantes da natureza. Uma sensibilidade que recebo como um carinho.

vera disse...

erva-carapau : que nome fantástico