segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Hoje acredito, que um dia....


Um dia

Um dia, gastos, voltaremos
A viver livres como os animais
E mesmo tão cansados floriremos
Irmãos vivos do mar e dos pinhais.

O vento levará os mil cansaços
Dos gestos agitados irreais
E há-de voltar aos nosso membros lassos
A leve rapidez dos animais.

Só então poderemos caminhar
Através do mistério que se embala
No verde dos pinhais na voz do mar
E em nós germinará a sua fala.

Sophia de Mello Breyner Andresen

5 comentários:

Papoila disse...

Ola, ha sempre uma noite e um dia! E o Sonho sempre presente. Adorei a imagem. Parabens plo blog, voltarei.
Deixo-lhe a sensibilidade e o aroma das mimosas em flor.
Bjinhos,

Ana Ramon disse...

Eu também...mas caminha-se tão devagarinho.
Belíssimo poema. Magnífica foto
Um abraço grande

Joao Soares disse...

Adoro Sophia e como soubeste ligar muito bem com a foto!
Já há muito tempo que sou teu visitante e nada de um link para o BioTerra!!!
Estou a preparar um dossier importante onde voltarás nesse post.
Entretanto convido-te e aos teus leitores a veres(m) o meu Dossier sobre Montanhas
Abraços

Gato Azul disse...

J'aime Sophia de Mello Breyner Andresen. J'aime la simplicité du language qu'elle utilise. Obrigada.

eu... disse...

adorei o teu blog