sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Ó ribeiras chorai | Que eu não volto | A cantar

Morreu hà 20 anos um homem bom que usou as flores e as palavras como alguns homens usam armas.


A formiga no carreiro
Vinha em sentido contrário
Caiu ao Tejo
Ao pé dum septuagenário
Larpou trepou às tábuas
Que flutuavam nas águas
E de cima duma delas
Virou-se pró formigueiro
Mudem de rumo
Já lá vem outro carreiro



Zeca Afonso .1973 . Venham mais cinco.

5 comentários:

Elsa Castelo disse...

Grande Zeca Afonso.

Filipe disse...

Em cada esquina um amigo...

rui disse...

Zeca, Sempre!

Anónimo disse...

que saudades Zeca..
isa

Anónimo disse...

põe o h no á... para ficar perfeito
beijinho