sábado, 5 de dezembro de 2009

Mudar o mundo não é para mim


Martelo da Wonder


Às vezes tenho a sensação de que ando aqui a falar para as paredes, não que isso seja desagradável, nunca tive pretensão nem vocação para ter uma audiência e quase tudo o que digo é de mim para mim. Mas em tempos de tempestades, injustiças e espírito revoltado: gostava de saber argumentar, convencer, gostava de conseguir gritar muito alto para que todos me ouvissem, é um sonho, é, e felizmente passa-me logo.  Não vou conseguir mudar o mundo, lamento!

5 comentários:

Tiago Taron disse...

pois eu gostava de conseguir ter a razão do lado das palavras como a Rosa a consegue ter, as minhas palavras, talvez por deformação profissional, assustam a razão, mesmo quando a tenho parece que a transvestem

Rosa disse...

Não me lembro quem o disse (eu não fui) mas "Numa sociedade a razão é a primeira a ser vencida".
Obrigada Tiago, mas não é bem assim, eu a razão e as palavras andamos sempre todas baralhadas. : )

António disse...

Mudar o mundo é para todos, mas parar não. Quero que continue a blogar. Muito ou pouco não interessa. Já a persigo a algum tempo e sempre com muito prazer.
Força!

Rosa disse...

Obrigada, António. Blogar já faz parte de mim, não paro, não.

Anónimo disse...

Talvez "tu" sozinha não consigas mudar o mundo, mas basta um "tu e eu" para fazer toda a diferença. Não podemos desistir, o Mundo é demasiado belo para que não reparem nele. Força!