quinta-feira, 8 de novembro de 2007


somos uma árvore nem sempre
pensada. vimos uns dos outros como
se fossemos terra uns dos outros, terra e
sangue, ágil sobre o tempo por
instinto e uma certa paixão. somos
uma árvore nem sempre erguida.
temo-nos uns aos outros como
causas e efeitos em busca dos
caminhos e uma certa paixão.
somos uma árvore nem sempre
razoável. magoamo-nos uns aos
outros como necessitados de coisas
más sem grandes razões e de
uma certa paixão

poema de valter hugo mãe

2 comentários:

MoonLight disse...

Fantástica foto e fantástico poema...
Bom fim de semana.
Bjs de Luz

bettips disse...

Vim re (VER). Sempre recordo sábias e floridas, as palavras. Abç