terça-feira, 12 de junho de 2007

Caminhos

Ipomoea purpurea
O FLORIR
O florir do encontro casual
Dos que hão sempre de ficar estranhos...

O único olhar sem interesse recebido no acaso
Da estrangeira rápida ...

O olhar de interesse da criança trazida pela mão
Da mãe distraída...

As palavras de episódio trocadas
Com o viajante episódico
Na episódica viagem ...

Grandes mágoas de todas as coisas serem bocados...
Caminho sem fim...

em: Ficções do Interlúdio- Poesias de Álvaro de Campos

1 comentário:

brilho-de-conta disse...

o que eu aprendo contigo!!!

adoro esta trepadeira com as suas flores... é imparável!