quarta-feira, 2 de maio de 2007

O centro comercial e as árvores

Jardim do Marquês de Marialva . 1940
Centro comercial e os Plátanos condenados. hoje

Em troca dos 97 Plátanos saudáveis e quase centenários que estão a ser abatidos no Campo Pequeno, os Lisboetas receberam mais um enorme centro comercial, sem luz natural, claustrofóbico e confuso. Provavelmente isto não os incomoda muito, porque é nos centros comerciais que muitos dos Lisboetas passam os seus tempos livres e não perto das árvores.


A mim, incomoda claro! Mas o que mais me custa é ver que os poucos Lisboetas que dão a voz contra este abate selvagem são criticados, acusados de demagogia e de falta de conhecimentos técnicos para falar no assunto. Desde quando é preciso formação especifica ou conhecimentos técnicos para se gostar de árvores?

8 comentários:

the gardener disse...

Eis a razão pela qual não gosto de Lisboa e recusei todos os convites para trabalhar na capital. A capital não tem árvores, e eu não posso viver longe delas. Divulgar os crimes nos blogs é um princípio para a mudança.

bettips disse...

Quem poderia mostrar-nos assim as árvores chorosas de Lisboa? Quem explicaria como se fazem árvores felizes? As tuas fotos são parte da revolução de mentalidades que construímos, tijolo a tijolo. Sempre corajosamente. Bjinho

Maria Lua disse...

http://mariapudim.blogspot.com/2007/05/jardim-do-campo-pequeno-cmara-municipal.html

miguel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
miguel disse...

É chocante o que estão a fazer com àrvores tão bonitas e antigas. O novo riquismo actual deve ter achado que tiravam as vistas à porcaria da praça de toiros toda "arranjadinha".Eu e os meus amigos não pomos os pés nesse centro.Boicotemos já.

Ver disse...

Eu até gosto da praça de toiros, não gosto é das touradas que a Câmara de Lisboa anda a tramar.

T disse...

Doí mesmo ver as árvores abatidas. Já ouvi teorias que Lisboa não devia ter árvores ,por causa das alergias que provocam as folhagens e flores, e apeteceu-me bater a essa pessoa.
Entristece ver Lisboa assim.

paulu disse...

A mim doi-me em particular porque nasci e cresci perto do Campo Pequeno, trabalho no Campo Pequeno, e tenho de ver diariamente o espectáculo miserável daqueles plátanos decepados.
Hoje descobri lá um cartazinho da CML a dizer que as ditas árvores não tinham sido abatidas "discricionariamnete", mas porque apresentavam "risco eminente de queda". Pois...
Entretanto, no mesmo cartaz, é feita a promessa de que plantarão no mesmo local, em substituição, 153 plátanos, 3 jacarandás, 5 olais e 6 tílias. Não dizem, claro, é quando, nem mostram qualquer plano de arborização. Entretanto o executivo camarário caiu e está-se mesmo a ver o resto do filme.