segunda-feira, 14 de maio de 2007

Árvores veneráveis

Jerôme Hutin é um "peregrino das árvores". Tem como objectivo e profissão, localizar, fotografar e proteger as mais antigas árvores do planeta, é autor do livro " Les Arbres Venerables" e lançou recentemente um apelo, na forma de uma petição, para que as árvores monumentais de todo o mundo sejam reconhecidas pela UNESCO como Património Natural Mundial e assim protegidas. Não refere na sua obra nenhuma árvore Portuguesa e faz bem, porque nunca se sabe quando é que uma árvore monumental Portuguesa é abatida em nome sabe-se lá de quê.



Em -Árvores Monumentais de Portugal (1984), Ernesto Goes faz um inventário das árvores excepcionais de Portugal, com o objectivo de " (...) mentalizar toda a gente pelo respeito pelas árvores, principalmente por aquelas que pela sua idade e porte deveriam ser rigorosamente protegidas."

Neste seu livro, Goes refere: " Na antiga Estação Agronómica Nacional em Sacavém (hoje Bairro social da Petrogal), há uma oliveira multissecular, que tem 4,70 m de P.A.P.. Que está considerada de interesse público."

De pouco valeu o interesse público a esta oliveira, se era a mesma de que me fala José Manteigas nesta mensagem. E tudo indica que sim!



(...) resolvi partilhar a fotografia de uma oliveira que está no Hospital Residencial do Mar em Sacavém, no Bairro da Petrogal.
Já há vários anos que não ia ali, provavelmente por antecipar o que encontrei hoje.
(...) De acordo com um colega - que entretanto já faleceu - o último Director da Estação Agronómica de Sacavém (?), no edifício da qual agora está instalado o hospital, no dia em que se reformou terá dito qualquer coisa como: "Tomem cuidado com aquela oliveira porque tem a idade de Jesus Cristo".
Tanto quanto me recordo essa oliveira não está no sítio onde esteve e - se assim for - o mais provável é não estar em lado nenhum.
Atrás deste edifício existia um pequeno olival que está destruído. As suas oliveiras também aparentavam ter uma idade muito respeitável. Algumas das que lá estão - não sei se sobraram - foram "podadas" recentemente.

Não sendo a fotografia que gostava de partilhar, estou seguro de que concordará que é um belo espécime de Olea europaea, na realidade é a fotografia de uma sobrevivente...
"

Olea europaea . Sacavém . Fotografia de José Manteigas


Sobrevivente... Ao que tudo indica de um massacre como tantos a que infelizmente já nos vamos habituando.

3 comentários:

JM disse...

Um dos detalhes curiosos desta história é que ela se refere, provavelmente, ao ser vivo mais antigo de Lisboa...

Pedro n. t. santos disse...

Um povo que não respeita as suas árvores é um povo que não se respeita a si próprio.

Em relação a Jerôme Hutin, e embora me sinta 100% realizado como professor, não me importava de partilhar com ele o mesmo objectivo de vida...é que fazia já as malas!

P.s.- Já pus um "guia" na Sombra Verde com os passos para propor uma árvore como sendo de interesse público.

GPC disse...

O Jerôme tem um projecto maravilhoso mas a página mais horrível que vi nos últimos tempos.
Ilegível! Irra! que até dá nervos.